Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/09/2017

A superioridade moral imobiliária do socialismo (2)

Em retrospectiva:

Da esquerda para a direita e de cima para baixo: Héron Castilho, Lisboa (José Sócrates); Passy, 16ème, Paris (José Sócrates); Avenida da Liberdade, Lisboa (António Costa); Rua Milharada, Massamá (Pedro Passos Coelho)
Acrescente-se que o duplex de Costa na Avenida da Liberdade lhe foi arrendado entre 2012 e 2014 por 1.100€ (uma renda baixa até para um duplex na Reboleira) pela Holding Violas Ferreira, num imóvel ampliado em 2010, com Costa já presidente da câmara, contra o parecer técnico dos serviços (fonte).

Novos desenvolvimentos:

Fernando Medina, que herdou de Costa a presidência da câmara de Lisboa, é mais um socialista com olho para o negócio imobiliário. Primeiro vendeu um apartamento T3 em 2016 por 490 mil euros que lhe tinha custado dez anos antes 360 mil.

Também em 2016 comprou um apartamento duplex (a inclinação dos socialistas para o duplex...) por 645 mil euros à proprietária que tinha pago por ele 843 mil dez anos antes. A proprietária que perdeu de uma assentada quase 200 mil euros é, por acaso, um membro da família Teixeira Duarte (várias empresas da Teixeira Duarte haviam sido proprietárias do edifício, entretanto convertido em propriedade horizontal). Medina não reparou a quem comprou o apartamento porque, disse, foi-lhe proposto por uma agência, apartamento que ele pelos vistos não sabia situar-se no mesmo edifício onde o sogro (por acaso ex-ministro de Sócrates) também era proprietário de outro apartamento (bem como outros ex-ministros do CDS), apartamento que, por acaso, seis anos antes lhe custara mais cinco mil euros do que o preço pago pelo genro Medina. Também por acaso, depois disso, a câmara adjudicou sem concurso várias obras à Teixeira Duarte. (Observador, Público)

Em resumo o génio negocial de Medina permitiu-lhe em dez anos realizar uma mais-valia actual de 230 mil euros e uma mais-valia potencial de 198 mil. É obra!

Não pretendo insinuar que dos casos referidos se conclua que os socialistas envolvidos sejam corruptos - abro uma excepção para José Sócrates, tanto quanto o segredo de justiça já permitiu saber. Nada disso, pretendo apenas concluir que esses casos são exemplares das trapalhadas e dos circuitos subterrâneos do funcionamento do polvo socialista com o seu corpo entrincheirado no Estado Sucial e os seus tentáculos em todos os sectores que dele dependem.

Sem comentários: