Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/09/2014

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (93) – A infâmia e a estupidez

O eurodeputado Carlos Zorrinho disse à agência Lusa que «o PS conseguiu travar pasta para social para Moedas». «Entre os socialistas, há quem esteja aliviado por o português não ter uma pasta económica», observou o Observador. Enquanto isso, António Galamba, da direcção do PS, considera que à  escolha de Moedas apenas pode ser aplicado um adjectivo: “Ridículo”.

No contexto dos padrões domésticos da luta política ficar aliviado por Carlos Moedas não ter uma pasta económica ou considerar ridícula a sua escolha estará dentro do limite admissível à gente medíocre, ressabiada e mau carácter que anda por aí pendurada na política. Com um pouco mais de esforço, julgo até ser possível descontar uma acção, noutro contexto antipatriótica, de tentar travar uma pasta para a criatura.


Há, porém, um limite para tudo. E está para além desse limite a estupidez de confessar orgulhosamente a infâmia a uma agência de notícias.

1 comentário:

Dudu disse...

Conseguiram travar Moedas mas falharam em acelarar Maria Joao Rodrigues.