Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/08/2010

SERVIÇO PÚBLICO: O comércio externo está surdo aos delírios prospectivos de José Sócrates

A economia, em particular o comércio externo, não parece manifestar o menor entusiasmo pelos delírios prospectivos de José Sócrates. Segundo os dados preliminares do INE, o défice do comércio externo de Abril a Junho aumentou de -4,6 mil milhões em 2009 para -5,0 mil milhões em 2010, nomeadamente por aumento do défice com países terceiros.
Por grandes categorias económicas, com base nos dados disponíveis referentes ao período de Março a Maio, o aumento do défice ter-se-à ficado a dever essencialmente ao aumento das importações de automóveis (+381 milhões) e combustíveis para refinar (+626 milhões). Em contrapartida, a importação de máquinas e outros bens de capital reduziu-se em 105 milhões, mostrando que os portugueses sabem muito bem o que é importante.

A coisa só pode acabar mal. Muito mal.

Sem comentários: