Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/08/2010

Estado empreendedor (33) – cada um tem o Metro que pode

Com um passivo de 2 mil milhões (1,2% do PIB), um défice de liquidez a curto a prazo de 200 milhões e a banca a cortar-lhe o crédito à falta dos avales do Estado, o Metro do Porto está a beira da ruptura financeira. Face a isto, a administração faz ultimatos ao governo que assobia para o lado. Outro galo cantaria se fosse o Metro de Lisboa - passivo de 3,3 mil milhões, administração povoada com apparatchiks do PS. Tratando-se do Metro de Porto, o passivo é muito menor, mas não ajuda uma administração povoada de apparatchiks do PSD, incluindo Marco António Costa, vice-presidente da Câmara Municipal de Gaia. Resta-lhes a vuvuzela de Luís Filipe Menezes em Gaia.

Sem comentários: