Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/07/2010

Much Ado About (almost) Nothing

Afinal parece que o interesse estratégico e o imperativo patriótico da participação da PT na Vivo valem para o governo apenas 350 milhões de euros ou menos de 5% do valor porque vai ser vendida, tanto quanto depois do veto do governo a Telefónica teve que adicionar à sua última proposta já aceite por Sócrates. Como é óbvio, a eventual entrada minoritária da PT na Oi nada tem a ver com a Telefónica a não ser o facto de disponibilizar dinheiro que a PT não teria para comprar essa participação.

Em resumo:

  • Já este ano a Telefónica nas conversas com a administração e/ou os accionistas aumentou a parada sucessivamente para 5, 5,7, 6,5 e 7,15 mil milhões;
  • O governo vetou a proposta de 7,15 mil milhões, no meio de imensa manipulação mediática em que Sócrates se envolveu até às orelhas;
  • Por último a Telefónica apresenta a proposta agora aceite de 7,5 mil milhões.
Em conclusão, os créditos pela melhoria de 2,5 mil milhões da proposta de 5 para 7,5 mil milhões devem-se:
  • À administração e/ou accionistas 2,15 mil milhões ................... 86%
  • À golden share e à gritaria mediática de Sócrates 350 milhões .... 14%

Sem comentários: