Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/07/2010

ARTIGO DEFUNTO: Jornalismo mendicante

Um leitor desprevenido ao ler o título «Alemanha preparada para ajudar Portugal» pensaria que a Sr.ª Merkel já estaria a abrir a gaveta do Bundesbank para mandar para cá uns trocos. Sabendo-se a disposição do eleitorado alemão em relação à irresponsabilidade financeira dos indígenas da Europa do sul, a liberalidade do governo alemão deveria ser a última coisa a esperar.

Na verdade, segundo o próprio jornal, a coisa é simplesmente trivial: o ministro das Finanças alemão Wolfgang Shaeuble acordou um encontro com Teixeira dos Santos para avaliar «o que pode ser feito de forma bilateral no que diz respeito à informação, mas também acerca de aconselhamento e assistência». No contexto das actuais relações entre a Alemanha e os protectorados do Sul, adivinha-se o que «aconselhamento» e «assistência» possam significar.

Quem já está a ajudar é o presidente Sarkozy, quando promete que a França não vai ficar na mesma situação da Grécia e Portugal, promovendo estes dois países a um modelo de alunos mal comportados (lembrar o saudoso primeiro-ministro Cavaco e o seu Portugal bem comportado). Se tivesse cóltura cinematográfica, Nicolas ter-lhes-ia dado zéro de conduite.

Sem comentários: