Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

24/07/2010

NOVA ENTRADA PARA O GLOSSÁRIO DAS IMPERTINÊNCIAS: Neo-coisismo

Como se sabe, pelo menos desde Guilherme de Ockham, as coisas não existem sem um nome. Ontem o Pertinente criou, sem se dar conta (sou sempre eu que tenho que estar atento), uma nova categoria conceptual que importa registar para a post-eridade.

Neo-coisismo
É uma categoria conceptual que engloba a reencarnação sob novas vestes de doutrinas filosóficas, religiosas, políticas, militares, etc. eventualmente existentes no passado. As criaturas que defendem essas reencarnações doutrinárias são os neo-coisistas.
Exemplos: doutrinas políticas como o neo-liberalismo (eventualmente o socialismo pobre e endividado, d’après Abrupto) ou o neo-conservadorismo (o conservadorismo revolucionário), doutrinas económicas como o neo-keynesianismo (o keynesianismo que ainda não percebeu que as despesas públicas já não são 20% do PIB) ou doutrinas religiosas como o neo-benfiquismo (o benfiquismo de Jesus).

Sem comentários: