Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/07/2010

Vou esperar mais algum tempo antes de me declarar admirador de António Mexia

É difícil ficar indiferente à sua entrevista na Única do Expresso. Se esquecermos que faz parte do esperma feliz, como lhe costuma chamar Warren Buffett, e estudou na Suíça, o homem subiu a pulso na vida ou pelo menos andou bastante à boleia, segundo confessa. Com os 3,1 milhões de salário e bónus recebidos da EDP o ano passado, hoje está bem, depois de ter passado por muitas dificuldades - para pagar a renda de casa não lhe chegava o dinheiro ganho como assistente em duas faculdades.

Apesar de tudo isso e correndo o risco de me ver incluído entre os invejosos e os mesquinhos, vou esperar mais algum tempo antes de me declarar seu admirador. Vou esperar que tenha sucesso como presidente duma empresa sem golden share, nem o Estado como accionista, actuando num mercado concorrencial de bens ou serviços transaccionáveis, sem subsídios, uma empresa que não seja um quasi-monopólio.

Sem comentários: