Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

03/07/2010

DIÁRIO DE BORDO: Inteligência prática e inteligência pura

Ele era uma criatura que arrotava uma ética farfalhuda em contraste com uma vida pessoal e profissional sinuosa. O admirador era uma daquelas criaturas que nasceram para se espantar com arrotos éticos. O homem era uma criatura que tinha feito pela vida o melhor que sabia e podia, realizando obra sem transigências morais, desperdiçando por isso oportunidades que exigiam uma coluna vertebral flexível.

Este homem, disse ele para o admirador, é uma inteligência pura. Sabes, perguntou para o homem, que existem inteligências puras e inteligências práticas? subentendendo que ele era o prático e o homem o puro.

Sei, respondeu o homem. Percebo o que queres dizer. Uma inteligência pura é uma inteligência prática com princípios.

[Inspirado numa conversa ouvida algures]

Sem comentários: