Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

20/02/2018

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: A derrota anunciada auto-infligida de Rui Rio

Este post é como que uma continuação deste outro.

Secção Tiros nos pés

À proposta do novo líder do PSD de candidatura «a parceiro de Costa, em substituição do PCP e do Bloco de Esquerda», Rui Rio obteve a resposta que devia ter previsto e não previu.

Costa mandou dizer por interposto Pedro Marques que acordos sim, mas com «todos os partidos e por maioria de razão com os que têm apoiado esta solução política».

Ou, dito em português corrente, põe-te na fila atrás do BE, do PCP e do seu apêndice verde.

Por estas e por outras, leva dois afonsos, por uma firmeza mal usada (para impor dois vice-presidentes que são uma espécie de contra-exemplo ético) e cinco chateaubriands por confundir as suas fantasias com o mundo real.

Sem comentários: