Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

03/08/2011

Lost in translation (118) – Rigor? Já fizemos engenharia orçamental no passado. Voltaremos a fazê-lo no futuro, queria ele dizer (XXVIII)

[Mais engenharias orçamentais: pesquisa Google]

Aos 3 mil milhões de euros de facturas por pagar do SNS será preciso adicionar mais umas largas centenas de milhões de outras proveniências, por cortesia dos governos Sócrates dos últimos 6 anos. Faltando ainda 615 entidades públicas que não deram informação sobre os seus calotes, já vamos num total de 3,3 mil milhões. Sabendo-se que no perímetro OE cabem cerca de 14.000-entidades públicas-14.000, dir-se-ia que os 5% que faltam são amendoins. Tudo depende de quem são os 5%. É melhor esperar coelhos a saltar da cartola e quando menciono coelhos, falo também do Coelho e das facturas da Mota-Engil.

Sem comentários: