Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/08/2011

ARTIGO DEFUNTO: Dois pesos e duas medidas (2)

Se alguém pensou ser impossível um editor de Economia, como Nicolau Santos, de um jornal auto-intitulado independente e de referência, como o Expresso, descer abaixo do nível do seu artigo «O se-nhor mi-nis-tro das Fi-nan-ças» aqui reproduzido, desengane-se. Da pena de onde veio este artigo vieram e hão-de vir muitos mais do mesmo jaez.

Por exemplo o mea culpa que escreveu no Expresso de sábado passado, retratando-se por na semana anterior ter criticado (justamente, sublinhe-se) as nomeações e o novo modelo de governação da CGD e por ter agora descoberto o que supunha erroneamente serem asneiras paridas pelo se-nhor mi-nis-tro das Fi-nan-ças Gaspar são afinal excelentes ideias paridas em Outubro do ano passado pelo senhor ex-ministro das Finanças Teixeira dos Santos, a quem o pastorinho Nicolau bruniu as polainas durante 6 anos.

Sem esquecer que o novo modelo de governação «era há muito sugerido por analistas» e (believe it or not) agências de rating». Seriam as mesmas agências ao serviço dos interesses americanos vilipendiadas por este ex-pastorinho da ex-economia dos amanhãs que já não cantam?

Sem comentários: