Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/06/2011

Mitos (41) - o passado não interessa; só interessa o futuro

Este é um mito recorrente por parte dos socialistas para branquear os anos dos governos de Guterres e, sobretudo, dos governos de Sócrates. Percebe-se sem dificuldade.

Já é mais difícil perceber quando o mito é adoptado pelos pragmáticos desafectos do socialismo que acham não valer a pena considerar o passado. Como se o nosso passado não condicionasse o nosso futuro. Tem-lo feito e, até agora pelo menos, com tanta eficácia que os sucessivos futuros não têm sido mais do que reedições dos pretéritos passados com as inevitáveis adaptações às ideias dominantes da época. O republicanismo nas 3 primeiras décadas do século passado. O corporativismo nas 3 décadas seguintes. Os socialismos nas suas múltiplas encarnações nas décadas seguintes. O colectivismo e a inevitável presença sufocante do estado, sempre.

Até a nível pessoal o passado é decisivo. Esqueçam o passado do querido líder José Sócrates, deixem-no ir para Bruxelas representar os interesses do PT brasileiro ou ir para Paris fazer um ano sabático e estudar de filosofia, segundo as versões respectivamente do SOL e do Expresso, e ele voltará branqueado dos Cova da Beira, dos Héron Castilho, dos cursos terminados ao domingo, do inglês técnico, dos Freeport, dos Face Oculta, das compra da TVI, dos Taguspark-Figo, das lendárias mentiras com que nos insultou durante 6 anos e, sobretudo, das suas históricas realizações: maior desemprego dos últimos 90 anos, maior dívida pública dos últimos 160 anos, mais baixo crescimento económico dos últimos 90 anos, maior dívida externa dos últimos 120 anos, mais baixa taxa de poupança dos últimos 50 anos, segunda maior taxa de emigração dos últimos 160 anos. Voltará branqueado e pronto a assumir de novo a liderança do PS, depois de varridos os restos carbonizados dos Assis ou dos Seguros.

Post scriptum
Estão a dizer-me que Sócrates não voltará e, por isso, será perda de tempo escalpelizar as suas vilezas. O José Sócrates poderá não voltar, mas onde foi fabricado o José tem lá muitos mais sócrates prontos a usar.

Sem comentários: