Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

20/11/2008

Saberá ele o que foi Bretton Woods?

«Da Cimeira não saiu nada de muito concreto nem que jeito tenha. Houve boas intenções e algumas promessas retóricas. Reformas sim, claro, disseram em coro, mas não um novo Bretton Woods - que horror! -, quando é precisamente disso que se trata.» escreveu o doutor Soares, desapontado, no DN de anteontem.

Sofrendo duma doença que o Impertinente costuma chamar esquerdismo senil (*) o doutor Soares, impaciente pelos milagres que Santo Obama tarda em revelar, espera coisas inesperadas e inesperáveis. Saberá ele que os acordos de Bretton Woods resultaram de três longos anos de preparação técnica, mobilizando centenas de economistas, e duma conferência que durou 3 longas semanas? Imagina ele que de conversa fiada entre duas dezenas de criaturas, quase todas bastante ignorantes do tema, durante meia dúzia de horas pudessem sair mais de que promessas (algumas delas retóricas)?

(*) Esquerdismo senil neste contexto não tem intuitos ofensivos, trata-se apenas de caracterizar uma certa visão política (ver o Glossário)

Sem comentários: