Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

03/11/2008

NO-VOTE JOINT STATEMENT

Estamos na véspera e os contribuintes do (Im)pertinências não chegaram a uma conclusão.

Pela força de carácter, pela sua histórica independência das políticas mais retrógradas do partido Republicano, por algumas ideias liberais no plano social e económico, pelo conservadorismo fiscal, pela sua experiência internacional, pelo domínio das questões da defesa e segurança, McCain parecia um bom candidato. Parecia. Nas últimas semanas, uma campanha errática e a escolha duma vice à medida dos sectores mais trogloditas do partido Republicano introduziu bastante entropia nas nossas meninges.

Pelas dúvidas quanto ao seu carácter, pelo seu passado de ligações estreitas a advogados e sindicalistas, pelas suas posições anti-mercado, pelo seu alinhamento sistemático nas votações com o intervencionismo mais exacerbado do partido Democrata, pelo seu despesismo latente, pela sua inexperiência e vacilações em questões de defesa e segurança, Obama Barack não parecia um bom candidato. Não parecia e continua a não parecer, quando se observa uma parte importante das suas bases de apoio que sofre de lunatismo incurável.

E, contudo, uma das figuras mais apreciadas aqui no (Im)pertinências, Warren Buffett, o Sage of Omaha, declarou-lhe o seu apoio, e comenta-se poderá vir a ser o seu secretário de estado do Tesouro. Buffett que sendo um dos maiores investidores do mundo, detentor de milhões de milhões de activos construídos com o seu génio financeiro, doou uma parte significativa à fundação Gates e last but not least foi contra a redução do imposto sucessório e defende que não se deve entregar aos espermas felizes, como chama aos herdeiros, demasiado dinheiro.

A nossa sorte é que não temos que votar. Entre os dois, venha o diabo dos ianques e escolha.

Impertinente...................................Pertinente

Sem comentários: