Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/06/2010

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (18) – está tudo explicado

Existindo o sistema da Via Verde que cobre todas as outras auto-estradas e está testadíssimo além de estar integrado com a SIBS e permitir o débito nas contas de qualquer banco, até recentemente ninguém percebia o racional de inventar um novo sistema. Por exemplo, um chip de matrícula com virtualidades de torrar os habituais milhões de euros para suportar o sistema de cobrança de portagens das SCUTS que o governo anda a anunciar desde pelo menos Novembro de 2004 – ver aqui o último ponto de situação da implementação do sistema.

Ninguém percebia até o Expresso informar que o administrador executivo da SIEV, a sociedade criada pelo governo para gerir o sistema de chips de matrícula e de cobrança de portagens, um tal Pedro Bento anteriormente membro do gabinete do secretário de estado adjunto das Obras Públicas, pediu uma licença e ressuscitou como country manager da Q-Free, por uma feliz coincidência a empresa que foi contratada pelos operadores das SCUT para montar o tal sistema.

Sem comentários: