Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/08/2009

O contrário do racismo não é o racismo ao contrário

Em 2001, Sonia Sotomayor, a escolha de Obama Barack para substituir o juiz David Souter, comentando a visão da juíza do Supremo Sandra O’Connor, para quem o género não tinha relevância nas decisões dos juízes, disse «I would hope that a wise Latina woman with the richness of her experiences would more often than not reach a better conclusion than a white male». Seria difícil discordar de Sonia Sotomayor se em vez de «I would hope» e «a better conclusion than» tivesse dito «I guess» e «a different conclusion from». A diferença contém todo um programa de vida.

Foi isso que o senador (branco) republicano Lindsay Graham deve ter pensado durante a discussão da nomeação de Sonia Sotomayor quando lhe pediu para repetir a frase de 2001, o que ela recusou. Graham observou então que se ele tivesse dito que os homens brancos dão melhores senadores a sua carreira teria aí terminado.

Sem comentários: