Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

01/11/2006

DIÁRIO DE BORDO: a maiêutica do aborto (13)

«Como tal, e se se verifica que a prática do aborto vai continuar a existir com lei ou sem lei, ..., prefiro que ele aconteça num hospital», escreveu o maradona com um pragmatismo irrefutável.

Poderemos considerar igualmente irrefutáveis as seguintes (entre outras) variações de pragmatismo?

  • se se verifica que a prática do homicídio (Artigo 131º do Código Penal) vai continuar a existir com lei ou sem lei, ... , prefiro que aconteça num hospital
  • se se verifica que a prática do homicídio a pedido da vítima (Artigo 134º do Código Penal) vai continuar a existir com lei ou sem lei, ... , prefiro que aconteça num hospital
  • se se verifica que a prática do infanticídio (Artigo 136º do Código Penal) vai continuar a existir com lei ou sem lei, ... , prefiro que aconteça num hospital
  • se se verifica que a prática de ofensa à integridade física (Artigo 143º do Código Penal) vai continuar a existir com lei ou sem lei, ... , prefiro que aconteça num hospital.


Exercícios anteriores de maiêutica em (0), (1), (2), (*), (4), (5), (6), (7), (8), (9), (10), (11) e (12)
(*) O n.º 3 abortou.

Sem comentários: