Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/11/2006

O IMPERTINÊNCIAS FEITO PELOS SEUS DETRACTORES: estratégias alternativas

Do meu amigo JARF recebi a seguinte enigmática mensagem sobre o assunto maiêutica:

A televisão tem mostrado reportagens sobre as milhares de portuguesas que vão a Badajoz e Madrid por preços inferiores ao da tabela, incluindo 300 Euros para a viagem aérea (a Madrid).

Para ter a certeza que não teria outros candidatos a disputar-lhe futuramente o trono, o Sultão Mahmud II resolveu o problema, com enorme eficiência, e estritamente dentro do quadro legal em vigor: mandou matar as duzentas mulheres e concubinas do meio irmão e sultão anterior (Mustafá IV), que foram afogadas no Bósforo, não fosse haver alguma grávida.
Não se trata de um facto histórico remoto anterior ao ocaso do Império romano do Oriente. Passa-se após a revolução francesa, em 1808, e num país hoje candidato à UE.

Sem comentários: