Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

20/12/2021

Crónica da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa (116) - A Passarola Afundada (VIII)

Avarias da geringonça e do país seguidas de asfixias

A principal fraqueza da teoria de conspiração proposta pelo Dr. Rio é a autoria

Referindo-se à detenção do Dr. Rendeiro depois de vários meses a brincar às escondidas com a justiça portuguesa, detenção amplamente propagandeada em diversos canais pelo director-vedeta da Judite, o Dr. Rio comentou que «o azar de João Rendeiro foi haver eleições em janeiro».

Se à detenção do Dr. Rendeiro, depois do seu mandado internacional ter estacionado 73 dias na PGR, adicionarmos a detenção do Dr. Pinho dos corninhos, dois dias depois, por crimes que tiveram lugar há mais de 10 anos, o comentário do Dr. Rio ganha foros de apropriado.

O costismo paga tributo ao socratismo

Dado o passado da Dr.ª Edite Estrela, amiga do peito, fiel e feroz defensora do Sr. Eng. Sócrates, que o Dr. Costa fui buscar ao sótão do PS para futura presidente do parlamento, o juízo de João Miguel Tavares de considerar a Dr.ª Edite inapropriada ao lugar é neste caso também apropriado.

A corrupção cresce mais depressa do que incham os efectivos da justiça e da polícia

Et pourtant, a despesa per capita com a Justiça está a meio da tabela dos 47 países membros do Conselho da Europa, as custas judiciais estão sete pontos percentuais acima da mediana, há mais juízes e magistrados por 100 mil habitantes do que a mediana e 5 (cinco) vezes mais tribunais de 1.ª instância por 100 mil habitantes (fonte CEPEJ Report). Em cima disso, Portugal é um dos países mais policiados da UE com efectivos por 100 mil habitantes 27% acima da média europeia e nos últimos quatro anos a PJ aumentou em 400 os efectivos de inspectores e no próximo ano serão mais 200.

E com tanto dinheiro desperdiçados em legiões de apparatchiks a fazerem de juízes e de polícias não há recursos, diz o lóbi dessas legiões, para impedir a prescrição dos crimes dos políticos suspeitos no caso da negociação das PPP rodoviárias que envolveram "benefícios" de 3,3 mil milhões e não há dinheiro para pagar aos tradutores judiciais que ficam anos à espera.

Disse «serviços distintos»?

Com um atraso de nove meses em relação à morte do imigrante ucraniano às mãos (e pés) dos agentes do SEF e um atraso de seis em relação ao atropelamento mortal na A6, o demitido ministro da tutela atribuiu medalha de ouro por "serviços distintos" ao SEF. Há quem se indigne sem razão - afinal o SEF, os serviços distintos e o ex-ministro são perfeitamente compatíveis.

Take Another Plan

Enquanto o zombie agoniza no colo do Dr. Pedro Nuno Santos, aguardando a aprovação do miraculoso plano de reestruturação, e se prevêem mil milhões de perdas este ano, a despesa da Segurança Social com o lay-off da TAP representa quase três quartos do custo total do lay-off no 1.º semestre e a Easyjet tornou-se a n.º 1 nos voos para a Madeira aumentando o número de passageiros em 46% em relação a 2019 (Expresso).

Mas nem tudo são más notícias, o Dr. Pedro Nuno ameaçou que «se o plano da TAP não for aprovado a companhia vai fechar». Ácmon, o deus da aviação, e a Nossa Senhora de Loreto, a padroeira, o ouçam.

Cada um tem as TAPs que pode

Enquanto o Dr. Pedro Nuno tutela a TAP e a CP, a uma escala mais modesta o Dr. Siza é «o pai da dívida da EFACEC» que já leva 115 milhões de garantias do Estado e a Dr.ª Mendes Godinho é a avô, por assim dizer, da dívida bancária do Hospital do Hospital da Cruz Vermelha gerido pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa por sua vez tutelada pelo ministério da Segurança Social.

A difícil convivência do socialismo com a aritmética

O Dr. Leão estimou em Setembro o custo até então das medidas de resposta à pandemia em 30 mil milhões de euros. O Conselho das Finanças Públicas, no relatório Perspetivas Económicas e Orçamentais 2021-2025 estimou o impacto líquido total dessas medidas em 4,2% do PIB em 2020 e 2021 o que em contas redondas (PIB de 2020 = 202,4 mil milhões e crescimento de 5% em 2021) dá 17 mil milhões. O Tribunal de Contas estimou agora o custo dessas medidas em 2020 em 5,7% do PIB ou seja uns 11,5 mil milhões.

Choque a realidade com a Boa Nova

O Dr. Siza leu as folhas de chá do relatório da OCDE e anunciou que Portugal é o país que «mais vai crescer nos próximos anos». Talvez. Por agora, teve em Outubro a segunda maior quebra da produção industrial, com a Espanha são os mais atrasados na recuperação do PIB pré-pandemia, e nos índices per capita (UE = 100) de 2018 para 2020 desceu de 78 para 76 no PIB e de 85 para 84 no consumo (fonte Eurostat).

O que acontece quando um governo socialista se propõe colmatar as falhas de mercado

Com o propósito anunciado pelo Dr. Siza Vieira em Setembro de 2018 de «colmatar uma falha de mercado» a criação das Sociedades de Investimento e Gestão Imobiliária (SIGI) que o governo lançou com a habitual fanfarra propunha-se dinamizar e atrair investimento para o mercado de arrendamento. Decorridos quase três anos foi criada uma única SIGI pela Sonae Sierra associada ao Bankinter.

Vem a propósito recordar outras iniciativas para colmatar as falhas de mercado de habitação, como os vários programas de Renda Acessível lançados em concorrência pelo Dr. Medina e pelo Dr. Pedro Nuno, ex-putativos candidatos a sucessores do Dr. Costa, todos eles fracassados.

A «singularidade histórica» das rendas das energias renováveis

Foi com a expressão em título que o Conselho Tarifário da ERSE se referiu às consequências do aumento dos preços dos combustíveis nos custos de produção das energias convencionais, aumento de que resultou a redução das rendas usufruídas pelos produtores de energias renováveis durante mais de uma década, mas não os preços de aquisição e as suas margens que se mantiveram. Já as notícias inspiradas pelo lóbi das energias renováveis, deixando implícito uma espécie de donativo às empresas, não têm nada de singular, é o business as usual (ver aqui a estória em linguagem simples).

Pescadinha de rabo na boca

O Tribunal de Contas estimou em mais de 29 mil milhões entre 2008 e 2020 a despesa pública com ajudas à banca. Esquecendo que, em boa verdade, as ajudas não foram à banca mas aos devedores inadimplentes, muitos deles empresários do regime, que geraram as perdas dos bancos, o certo é que a banca transferiu para os contribuintes perdas colossais. Como que para retribuir a gentileza, os bancos portugueses são os segundos mais expostos à dívida pública e detêm actualmente o equivalente a quase o dobro dessas perdas, de onde, no caso de resgate do Estado português com reestruturação da dívida, a banca portuguesa suportará perdas colossais que de seguida exigirão ajudas públicas, e assim sucessivamente.

Ainda não é o mafarrico, mas já se sente o cheiro das brasas

Os juros da dívida pública estão a subir em todos os prazos, os défices da balança comercial aumentarem em Outubro para quase dois mil milhões e até Outubro para mais de 14 mil milhões e em consequência as contas externas começam a travar o crescimento.

1 comentário:

Bilder disse...

Boas festas https://grandefantochada.blogspot.com/2021/12/boas-festas.html