Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

24/11/2012

LOGBUCH: Ich bin kein Berliner. Ich bin Portugiesisch, die mehr oder weniger die gleiche ist (2)

aqui tinha concluído que o vídeo promovido pelo picareta falante professor Marcelo era um disparate em todas as dimensões.

A propósito de uma discussão tida com um amigo sobre o endividamento pantagruélico da cidade de Berlim, admiti que a cidade de Lisboa pudesse em termos relativos estar ainda mais endividada, pelo menos antes de o governo central ter dado uma mãozinha a António Costa, «comprando» à Câmara os terrenos do aeroporto, do CCB e do Parque das Nações o permitindo-lhe assim reduzir a dívida que estava antes dessa «compra» em 700 milhões.

Resolvi fazer umas contas de merceeiro, sumarizadas no quadro seguinte, para concluir que os berlinenses em termos relativos estão ainda mais atascados na dívida do que os alfacinhas. Constatação que só vem tornar ainda mais ridículas as pretensões marcelistas de tentar convencer os berlinenses tolhidos de frio nesta altura do ano a prescindirem de uns cobres concedidos pelos seus compatriotas em benefício dos tugas.


Sem comentários: