Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/04/2005

SERVIÇO PÚBLICO: o manejo da matriz comunista

No passado fim de semana os marxistas-leninistas-maoístas da UDP estiveram entretidos a mudar a classificação de partido para associação. Nas palavras dos próprios, a agora associação UDP é um projecto que «assume e maneja a matriz comunista». O camarada Carlos Santos resumiu a coisa assim: «Abandonámos Lenine? Não. Respondemos à vida e às necessidades».

Se por acaso o Bloco de Esquerda, onde esta «matriz comunista» se inscreve, tivesse a maioria, os anacletos instituiriam a ditadura do proletariado? Teríamos kolkhozes nos campos de golfe e sovietes no Tagus Park? Voltaríamos à «apropriação colectiva dos meios de produção e solos»? [ó doutor Nicolau isto garantiria que «algumas empresas em sectores estratégicos (ficariam) em mãos nacionais»?].

Good Bye Lenin! . See you soon.

Sem comentários: