Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

20/06/2022

Semanário de Bordo da Nau Catrineta comandada pelo Dr. Costa no caminho para o socialismo (19a)

Continuação das Crónicas: «da anunciada avaria irreparável da geringonça», «da avaria que a geringonça está a infligir ao País» e «da asfixia da sociedade civil pela Passarola de Costa». Outras edições do Semanário de Bordo.

«Em defesa do SNS, sempre». Mais uma paixão socialista que deu para o torto

Agora já é impossível de esconder: depois de seis anos de governo socialistas, o SNS colapsou sob o peso da incúria, incompetência e irresponsabilidade. Até o Dr. Costa foi obrigado a reconhecer que «há problemas estruturais que precisam de ter resposta», um estado que a jornalista Helena Garrido caracterizou com um título que diz tudo «Um SNS a caminho da morte».

«Estamos preparados»

Foi o que disse no início da pandemia a ministra do SNS, que canta A Internacional quando está ansiosa. Dois anos depois está a morrer-se mais 26% do que na média entre 2009 e 2019 e as mortes por Covid só explicam 60% do excesso de mortalidade, o resto presumivelmente explica-se pelo colapso do SNS.

Afinal a mão invisível está a funcionar no SNS

O Estado sucial do Dr. Costa paga aos médicos do SNS salários muito inferiores aos dos hospitais privados. Em resposta, os médicos trabalham o mínimo possível, mesmo os que nunca ouviram falar de Adam Smith. Por isso, as administrações dos hospitais públicos, que não podem contratar mais médicos que, de resto, também não estariam dispostos a trabalhar no SNS, contratam “tarefeiros”, isto é, médicos em regime de prestação de serviços a quem pagam o dobro ou o triplo do que pagam aos médicos “do quadro”. E quem são esses tarefeiros? São os médicos “do quadro” de outros hospitais públicos, e até do mesmo, que se dispõem a fazer “horas extraordinárias” para arredondar o salário como médicos “do quadro”. Por isso, desde que o Dr. Costa reside em S. Bento as despesas com “tarefeiros”, que nalguns casos representam até 80% dos médicos, cresceram mais de 50%.

Uma das explicações mais à mão para a alegada falta de médicos no SNS é que faltam médicos em Portugal porque, entre outras razões, a corporação médica força uma redução da formação de novos médicos. Não é preciso ser-se um especialista para perceber que isto é pura treta. Com ou sem pressões corporativas, os efectivos voltaram a aumentar em 2020 de 5,4 para 5,7 médicos e de 7,4 para 7,6 médicos por mil habitantes e Portugal é um dos 10 países do mundo com mais médicos por mil habitantes.

Caos nos aeroportos? A culpa é do SEF ou do PSD. What else?

As filas de passageiros alongam-se nos aeroportos. No caso do maior deles, aeroporto de Lisboa a culpa é, consoante as versões, das instalações (que é feito do novo aeroporto que anda há décadas a ser “estudado”?), da falta de pessoal (onde param os 82 mil utentes que o Dr. Costa acrescentou à vaca marsupial pública?), ou segundo o ministro da Administração Interna de «uma falha» do SEF, mas, no fundo, ainda segundo ele, o problema é o PSD que ainda não aderiu ao «amplo consenso social» para a construção do novo aeroporto.

Andará o Dr. Costa a preparar o seu futuro europeu, antecipando que poderá ser mais cedo do que o esperado?

«Costa anda há dois meses em digressão pela Europa» titulou o Expresso, informando-nos que o Dr. Costa já visitou 9-países-9 desde que tomou posse.

Ineficiente, sempre. Ineficaz quando possível. E caloteiro

O SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal), ao qual o Dr. Costa tem ligações umbilicais dos tempos em que foi ministro da Administração Interna e em que o seu amigo Dr. Lacerda Machado andou envolvido na compra dos helicópteros Kamov, falhou rotundamente no incêndio de 2016 (Pedrógão Grande, etc.). Prepara-se para falhar novamente porque, segundo a administração da empresa que gere o sistema, o governo não fez financiamento previsto e a empresa não está a pagar aos fornecedores.

Take Another Plan. Premiando a corruptência

A Parpública, que detém a participação do Estado na TAP, foi condenada a pagar aos antigos administradores 1,7 milhões de bónus relativos aos exercícios de 2006 a 2009, exercícios durante os quais se concretizou a compra da VEM, a empresa de manutenção que o Dr. Lacerda Machado, o amigo do Dr. Costa, impingiu ao governo do Eng. Sócrates, VEM que foi finalmente liquidada o mês passado na qual a TAP torrou um total estimado em 1,2 mil milhões ou 40% das injecções que os contribuintes vão pagar pela TAP («TAP: a culpa morre sempre solteira?»).

(Continua)

Sem comentários: