Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/06/2017

DIÁRIO DE BORDO: A lenda d'el Rei Dom Sebastião


A semana passada, João César das Neves na conferência "O mistério da Economia Portuguesa", durante a cerimónia de entrega do Prémio Carreira da Católica, enumerou não um mas vários mistérios e comparou a situação de Portugal nesta conjuntura plena de afectos e de boas notícias à de um doente com cancro (na circunstância, um processo de destruição de capital iniciado há décadas) que anda muito bem dispostinho.

A mim faz-me lembrar uma velha estória dos meus tempos da escola primária de uma criatura com um grave problema de diarreia persistente que o perseguia há anos, atormentando-lhe a psique e alimentando-lhe uma depressão crónica. Após inúmeras consultas sem sucesso a médicos especialistas, lamentou-se a um amigo que lhe recomendou um psicólogo conhecido.

Algum tempo depois, o amigo encontrou-o e, reparando no seu aspecto eufórico em contraste com o antigo semblante atormentado, perguntou-lhe se tinha resultado a consulta. Que sim, respondeu entusiasmado. Passou-te a diarreia? perguntou o amigo. Que não, respondeu a criatura. continuo com diarreia mas já não me importo.

1 comentário:

Anónimo disse...

A «minha» versão, contada por um Médico (meu Pai), não era com psicólogo; era com Valium, receitado pelo amigo, pois aquilo era dos nervos.
A resposta era mais prosaica: "Continuo a borrar-me mas não me importo".

Abraço