Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/06/2017

CASE STUDY: Trumpologia (21) - Depois de mim virá quem bom me fará, podia ter dito o Barack

Mais trumpologia.

The Economist

É bastante significativo que dos 37 países considerados (8 das Américas, 6 de África, 7 da Ásia, 4 do Médio Oriente, 11 da Europa e a Rússia), apenas na Rússia (por uma grande diferença) e em Israel (por uma pequena) a taxa de aprovação do Donald é mais elevada do que a do Barack. Nos restantes a diferença é da ordem das dezenas de pontos percentuais (lista completa). Serão o Donald e o Vladimir almas gémeas?

3 comentários:

Joaquim disse...

E quem acredita?

http://www.dailywire.com/news/18054/5-statistics-show-media-bias-real-aaron-bandler#

Anónimo disse...

Joaquim disse tudo...

Neves

Unknown disse...

A opinião pública, a opinião publicada e o "pulhiticamente correcto".
Ou o Velho, o rapaz e o burro dos nossos dias...