Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/08/2021

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (196) - Nepotismo e altruísmo na grande família socialista

«Como refiro, no “Manual de Gestão de Empresas Familiares”, que publiquei recentemente, as ações de nepotismo e altruísmo estão presentes, com grande frequência, nestas empresas.

No exercício de ações de nepotismo, os acionistas familiares impõem membros da família, sem os conhecimentos e qualificações adequadas, para lugares de direção e administração das suas empresas.

Na adoção de ações de altruísmo, os acionistas e administradores familiares admitem para os quadros das suas empresas, numa postura quasi caritativa, membros da família, claramente incapazes de executarem com eficiência e qualidade as funções que lhes são atribuídas.

Ambas as situações, que negam princípios de meritocracia na seleção e admissão de quadros para estas empresas, produzem danos relevantes nas mesmas e estão na base de muitos insucessos.

Nos casos em que as administrações das empresas familiares são compostas exclusivamente por membros da família, a destruição de valor, originada pelas ações de nepotismo e altruísmo, aumenta exponencialmente.

À semelhança do exercício de teoria comparada, que realizei no meu livro, entre as empresas familiares e as alianças estratégicas, proponho um exercício semelhante para a situação atual da família socialista, na sua relação com as entidades públicas.

Esta família considera ser proprietária do Estado, onde se incluem todas as entidades públicas, pelo que desenvolve, à semelhança do que ocorre nas empresas familiares, ações de nepotismo e altruísmo.
Neste exercício de teoria comparada, o Partido Socialista é o acionista familiar, o Conselho de Ministros o conselho de família, e a Cresap o gestor do protocolo de família.

Com o beneplácito da Cresap, a família socialista, numa aproximação de nepotismo, impõe os seus militantes para a direção e administração de todos os órgãos públicos.

Com a cumplicidade destes dirigentes, admitidos desta forma, a família socialista desenvolve ações de altruísmo, admitindo para os vários organismos públicos, militantes socialistas, sem a adequada preparação técnica e profissional.

A família socialista açoriana é o expoente máximo desta aproximação.

Estas ações de nepotismo e altruísmo, da família socialista, no poder há dezenas de anos, explicam o atraso estrutural e a pobreza do nosso país.

Dir-me-ão que o mesmo aconteceu, na família social-democrata, a que pertenço.

É verdade. Infelizmente.

Mas em muito menor extensão. Felizmente.»

Nepotismo e altruísmo, Luís Todo Bom no Expresso 

Sem comentários: