Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/12/2005

TRIVIALIDADES: o que fazem os portugueses no seu longo horário de trabalho?

«Portugal ocupa o terceiro lugar no «ranking» dos países que mais horas trabalham na União europeia a 15. Cada português trabalhou, em média, 1718 horas em 2004, mais 64 horas que a média europeia» (Jornal de Negócios)
Como explicar que, apesar de trabalharem mais horas, os portugueses têm a produtividade mais baixa da UE15? Elementar, meu caro Watson. Os portugueses só aparentemente trabalham mais horas. Os portugueses estacionam mais horas no local de «trabalho». Alguns utentes da vaca marsupial pública apenas estacionam os casacos sobresselentes enquanto vão tratar da vidinha. Se o chefe pergunta por eles, o colega do lado, solidário, esclarece que ele deve ter ido ao WC, porque deixou o casaquinho na cadeira.
Mas que fazem os portugueses enquanto estacionados nos locais de «trabalho»?




Esquerda e direita, têm (quase) o mesmo horário. A diferença a este respeito reside apenas
(Desculpem. Vou ter que interromper porque vem aí o meu chefe.)

Sem comentários: