Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/07/2011

SERVIÇO PÚBLICO: o défice de memória (12)

[Actualização (1), (2), (3), (4), (5), (6), (7), (8), (9), (10) e (11)]

31-03-2011
Em consequência da inclusão no perímetro do OE dos défices das empresas públicas que cobrem os custos com menos de 50% de receitas próprias, segundo os critérios do Eurostat desde há vários anos não cumpridos pelo governo socrático, o INE corrigiu os défices de vários anos:
  • 2009 - 10,0%
  • 2010 - 8,6%
23-04-2011
«Défice de 2010 revisto em alta para 9,1 por cento do PIB»

Programa eleitoral do PS divulgado em 28-04-2011:
04-07-2011
«"No domínio das finanças públicas não estou muito preocupado. As metas de redução do défice serão atingíveis, foram no passado e não tenho dúvidas que serão nos próximos anos", garantiu o ex-secretário de Estado do Tesouro Carlos Costa Pina. … socorreu-se do exemplo do ano de 2010, em que era ainda secretário de Estado, para afirmar que o anterior Executivo partiu de uma meta inicial de 8,3 por cento do PIB, para 7,3 por cento e mais tarde terá atingido os 6,8 por cento

Moral da estória:
O tempo agrava os défices orçamentais e faz o mesmo aos défices de memória.

Sem comentários: