Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/02/2006

DIÁRIO DE BORDO: yo no creo, pero que las ay, las ay

Num tempo em que é mais fácil um camelo passar pelo buraco duma agulha do que encontrar um casal heterossexual que não viva ou tenha vivido em união de facto. Num tempo em que é mais fácil uma alma entrar no céu do que encontrar um jovem macho ou uma jovem fêmea com mais de 15 anos que não pratique a queca de facto. Num tempo destes, quem é que acredita que duas lésbicas, para cuja união de facto 10 milhões de portugueses se estão borrifando, procuram benzê-la com uma escritura pública? Quem é que acredita que tais marafonas venham expor as suas miudezas sexuais na praça pública, num clima de histérico chinfrim mediático, sem terem uma agenda política, devidamente promovida pelo Berloque Sinistro?

Eu não?

Declaração de interesse: o Impertinências é «um blogue desalinhado, desconforme, herético, heterodoxo e homofóbico».

Sem comentários: