Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

29/11/2003

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Uma penada nas conquistas de Abril.

Secção Padre Anchieta
A propósito da putativa constituição europeia, disse a Dona Ilda Figueiredo, em nome do PCP, num encontro com jornalistas portugueses, que o documento proposto seria um golpe constitucional no nosso País, porque perdíamos, de uma penada, todos os direitos conquistados com o 25 de Abril.
Quanto ao golpe constitucional podemos discutir a coisa, mas quanto à perda dos direitos, que se saiba, a ralé europeia, que não teve a sorte de beneficiar das conquistas de Abril, não parece muito preocupada com isso. Pelo contrário, parece mais preocupada pela ameaça da economia europeia não recuperar e poder ficar, pouco a pouco, parecida com a choldra da terra que teve o privilégio de beneficiar de tais conquistas gentilmente oferecidas pelo Dona Ilda e os seus colegas.
Irremediavelmente a Dona Ilda leva com os chateaubriands da praxe – 3 na circunstância, porque tem a atenuante de já estar no PCP há muitos anos, o que lhe concede a honra de 4 bourbons.

Sem comentários: