Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/09/2005

CASE STUDY: os incêndios e as funções zingarilho

Agora que se está a encerrar a estação dos incêndios florestais, se atenua o ruído mediático e se esfriam as mioleiras, é altura dum balanço.

Como eram as coisas há 65 anos (fonte: Amorim Girão, Geografia de Portugal, Portucalense Editora):
(Clicar as imagens para ampliar)



.
Como são hoje (fonte: Espécies Florestais 2002, Direcção-Geral dos Recursos Florestais)


O que só pode ter os resultados que se conhecem (fonte: Fogos florestais ocorridos entre 1990 e 1998, Direcção-Geral dos Recursos Florestais)

E será por falta de políticas florestais e de intervenção do estado napoleónico-estalinista? Só se for por excesso.

Funções zingarilho de tipo recorrente aplicáveis:

  • Quanto mais estado napoleónico-estalinista, mais política florestal.
  • Quanto mais política florestal, mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos.
  • Quanto mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos, menos Castanea sativa, Quercus robur, Quercus Toza e Quercus lusitanica.
  • Quanto mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos, mais incêndios.
  • Quanto mais incêndios, mais estado napoleónico-estalinista.
  • Quanto mais estado napoleónico-estalinista, mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos
  • Quanto mais Pinus Pinaster e Eucalyptos globulos, mais incêndios.
  • ...

Sem comentários: