Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

30/09/2013

BREIQUINGUE NIUZ: Vencedores e vencidos deste fim-de-semana

Vencedores, vencedores mesmo, foram só três: Rui Costa que ganhou o campeonato do mundo de ciclismo em Florença no domingo; João Sousa que, após ter eliminado David Ferrer, o 4.º tenista do ranking ATP, ganhou o Torneio da Malásia, o primeiro no ATP World Tour ganho por um português e Rui Moreira, um independente que ganhou a câmara do Porto, enviando Luís Filipe Menezes para a reforma.

29/09/2013

ESTADO DE SÍTIO: O caso Machete e a doutrina Somoza

Mais fácil do que antecipar a bancarrota do Estado português há 5 anos, após 11 anos (só para não recuar aos tempos de Cavaco Silva) de folia fiscal, dos quais quase 9 da responsabilidade do PS, foi prever há dois meses que a entrada de Rui Machete para os Negócios Estrangeiro seria uma alternativa ao bombo-da-festa Relvas e daria à oposição e ao jornalismo de causas pasto para temas de diversão à volta dos casos BPN e BPP. De passagem, escrevi então, esta diversão poderá servir para fazer esquecer os grandes responsáveis pela nacionalização das perdas do BPN a pagar pelos contribuintes, a saber: José Sócrates e Teixeira dos Santos. Nacionalização que, recorde-se, segundo o antigo ministro das Finanças, não custaria nada e foi crescendo sucessivamente para 2 mil milhões, 4,5 mil milhões, 6,5 mil milhões, e sabe-se lá o quanto mais.

DIÁRIO DE BORDO: Cansei de viver na mesma galáxia do mestre em terror. Estou noutra galáxia (3)

Estrela gigante Zeta da constelação de Ophiuchi (Jet Propulsion Lab)

Zeta de Ophiuchi é uma estrela jovem com apenas 3 milhões de anos, 6 vezes mais quente, oito vezes maior, com massa 20 vezes maior e 80 mil vezes mais brilhante do que o Sol, embora não pareça porque se apresenta obscurecida por nuvens de poeira. Apesar de estar na nossa galáxia, a distância de 112 parsecs (366 anos-luz) parece-me razoavelmente suficiente para não me cruzar com o mestre em terror.

28/09/2013

LA DONNA E UN ANIMALE STRAVAGANTE: Igualdade de direitos para os homens

Esqueçam a luta pela emancipação das mulheres, esqueçam o feminismo militante, esqueçam a queima dos sutiãs. Ou reservem-nas para o mundo islâmico. Pelo menos no mundo ocidental, as novas lutas serão as lutas pela libertação dos homens e a doutrina do século 21 será o machismo militante para combater o jugo do mulherio.


No more sitting down to pee
Exagero? Pensem outra vez. Nem sequer menciono a subjugação doméstica a que muitos homens ocidentais estão já hoje sujeitos, como, para só citar um exemplo, serem obrigados a urinar sentados para não salpicarem o chão. Se até recentemente eram só os cromos com problemas de próstata e dificuldades para manter a mira, cada vez mais a humilhação pelas dominatrices se estende aos mais novos.

Esqueçamos essas trivialidades que afligem os homens ignotos do Ocidente. Falemos dos poderosos, como Obama que, sem reparar nos micros por perto, confessou que não fumava há meia dúzia de anos «because I'm scared of my wife». Ou como Stephen Elop, ex-executivo da Microsoft até recentemente CEO da Nokia e depois da sua venda regressado à Microsoft, que pressionado pela Nokia para aceitar um bónus menor explicou que estava a divorciar-se e «can’t make her accept a reduction».

Machos de todo o mundo, uni-vos! Contra a exploração do homem pela mulher! Os homens não têm nada a perder senão as suas grilhetas! Que se lixe o matriarcado! O machismo unido jamais será vencido! A luta continua, a patroa para a rua!

Camarada assina já a petição «Não mais urinar sentado!»

27/09/2013

Pro memoria (133) – «Serviço público é dar às pessoas o que elas querem»

«Um encontro de quadros e responsáveis da empresa descobriu há uma semana, ao que veio a público, com base num estudo de consultores, que a RTP tem que “deixar de ser um canal cinzento, sem brilho, sem cor e sem novidades” e, melhor ainda, que “serviço público é dar às pessoas o que elas querem” – o que coloca a SIC e TVI, com os seus reality shows e overdoses de telenovela, como os melhores canais de serviço público. Com a RTP no seu encalço…»
José António Lima no jornal SOL

A conclusão do encontro de quadros e responsáveis da RTP é muito reveladora do que vai na alma daquelas criaturas. Ameaçadas de extinção pela falta de grana, deixam cair a máscara e apresentam-se dispostas a fazer qualquer coisa para continuar a propagar a sua fé através do jornalismo de causas mantendo as suas tenças ou, talvez mais precisamente, a fazer o necessário para manter as suas tenças continuando o seu papel de «serventes do governo» ou da oposição, consoante as épocas.

Lost in translation (186) – Tribunal Constitucional cria emprego

Os detractores do TC (como o Impertinente) que se cuidem: «Constitucional devolve emprego a despedidos», escreve o Expresso no seu peculiar titulês, um dialecto em expansão no seio da comunidade dos jornalistas de causas. Agora que a crença na capacidade dos governos criarem emprego está a perder crentes, podem os adeptos domésticos do John Maynard transferi-la para o Tribunal Constitucional.

Mitos (140) - Racistas inesperados (15)

«C'est illusoire de penser qu'on règlera le problème des populations roms à travers uniquement l'insertion … Il y a évidemment des solutions d'intégrations (...) avec des villages d'intégration, (...) mais il faut trouver des communes qui peuvent accueillir ces villages d'insertion et de toute façon, ils ne concernent que quelques familles.

Ces populations ont des modes de vie extrêmement différents des nôtres et qui sont évidemment en confrontation (avec les populations locales). (Il n'y a) pas d'autre solution que de démanteler ces campements progressivement et de reconduire (ces populations) à la frontière.

Les Roms ont vocation à revenir en Roumanie ou en Bulgarie, et pour cela il faut que l'Union européenne, avec les autorités bulgares et roumaines, puissent faire en sorte que ces populations soient d'abord insérées dans leur pays».

Declarações do ministro socialista francês do Interior Manuel Valls à rádio France Inter, citadas pelo Figaro.

Esclarecimento: não considero que as declarações de Valls revelem uma visão racista, quanto muito uma visão realista e conservadora. Quem certamente deve considerá-las como racistas são os socialistas e o exército do politicamente correcto.

26/09/2013

CASE STUDY: Dissecando a mente de um grande aldrabão (3)

Outras dissecações: (1) e (2)

É só mais um exemplo, na Revista Sábado de hoje, da extraordinária ousadia e completo despudor da criatura, coexistindo com a desconsideração pela inteligência de quem o escuta e em especial dos seus prosélitos.

ESTADO DE SÍTIO: O Portugal inconstitucional (3)

Outros Portugais inconstitucionais: (1), (2)

Prosseguindo a sua saga de liquidar qualquer hipótese de reforma do Estado Sucial, o Tribunal Constitucional considerou inconstitucionais várias das poucas alterações ao quadro da legislação laboral aprovadas há um ano que se poderiam considerar reformas para melhorar a produtividade do trabalho e a competitividade da economia portuguesa, nomeadamente o despedimento por inadaptação e a extinção do posto de trabalho.

A saga de liquidação das reformas prossegue também nos tribunais comuns. O Tribunal Administrativo aceitou a providência cautelar do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI) sobre o aumento do horário de trabalho dos funcionários públicos até às 40 horas por semana.

Sabendo-se que estas reformas, e muitas outras que o governo não conseguiu até hoje aprovar, são indispensáveis para resolver os problemas estruturais da economia portuguesa e desse modo conseguir promover o crescimento sustentado, indispensável para pagar a dívida e readquirir a soberania transferida para a troika, espera-se que o Tribunal Constitucional declare a dívida pública inconstitucional e os tribunais comuns aprovem providências cautelares para a sua amortização e o pagamento de juros.

25/09/2013

Estado empreendedor (74) - O guião do Dr. Portas, em breve num cinema perto de si

Desanquei no Dr. Portas por várias razões, merecidas, como a irrevogável demissão, mas também por andar há 7 meses a tratar do guião – também conhecido por argumentário - da reforma do Estado. Minha culpa, minha máxima culpa. Afinal o Dr. Portas não descurou o assunto, ele esforçou-se por fazê-lo em outsourcing tentanto contratar um dos melhores scriptwriters de sempre para o fazer: Woody Allen. Com três vantagens.

DIÁRIO DE BORDO: Cansei de viver na mesma galáxia do mestre em terror. Estou noutra galáxia (2)

Fusão entre as galáxias NGC 2207 e IC 2163 (Jet Propulsion Lab)
É uma espécie de sexo entre as galáxias que dura há 40 milhões de anos. Pensando bem, é uma opção para evitar cruzar-me com o mestre em terror. Isto supondo que um corpo, até mesmo o do mestre em terror, não pode estar em duas galáxias ao mesmo tempo. Contudo, com o mestre em terror nunca se sabe, seja pelo princípio da incerteza de Heisenberg (que não tem nada a ver com isto, mas fica bem citar), seja porque o mestre em terror é um mistificador.

24/09/2013

NÓS VISTOS POR ELES: Buy Portugal some more time for what?

«Root and branch reform of processes and structures is needed. Currently 40,000 budget lines require parliamentary approval; the civil justice system is a mess. The government has made it easy to start a company, but it is still very hard to close one. The labor market remains too rigid, leading companies to shed jobs rather than cut wages. Meanwhile educational standards are among the lowest in the euro zone and university attendance has recently fallen.


DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: As infraestruturas como cemitérios para enterrar dinheiro extorquido às superestruturas

Andei uns dias pelas Beiras e por Trás-Os-Montes a tratar de vários assuntos. Aproveitei para rever os cemitérios onde mais de duas dezenas de governos e dezenas de autarquias andaram a enterrar os meus impostos e o dinheiro dos empréstimos que agora nos esmagam. Assim de repente, entre os que vêm à memória, destaco centenas de quilómetros de autoestradas onde espaçadamente nos cruzamos com os outros poucos tristes que por lá vagueiam, os museus (das réplicas dos calhaus de Foz Côa aos verdadeiros mausoléus dedicados aos artistas e pensadores nascidos lá na terra), as piscinas, os polivalentes, os mercados municipais que mais parecem centros comerciais, etc. – um etc. muito vasto. Quase todas as «infraestruturas» devidamente guarnecidas por dúzias de funcionários camarários que se entretêm conversando uns com os outros.

23/09/2013

DIÁRIO DE BORDO: Cansei de viver na mesma galáxia do mestre em terror. Estou noutra galáxia (1)

Galáxia Sombrero (Jet Propulsion Lab)
Não é uma são duas: uma galáxia em forma de disco vermelho no interior de uma grande galáxia elíptica azul a cerca de 18 milhões de anos luz da constelação Virgem

22/09/2013

BREIQUINGUE NIUZ: Mutti Angela ganha folgadamente, porque o voto contra da esquerda europeia não contou (incompreensivelmente)

Frankfurter Allgemeine

Presunção de inocência ou presunção de culpa? (15) – Mais presunções a respeito da banca do regime (II)

[Outras presunções acerca dos banqueiros do regime: (9), (10), (11), (13) e (14)]

Ricciardi, líder do BESI, foi constituído arguido na investigação às privatizações da EDP e REN, depois o DCIAP começou a investigar um depósito da Sonangol no Crédit Suisse, para pagar a venda da participação do GES na Escom, no valor de 85 milhões de euros, através da sociedade Akoya envolvida no caso Monte Branco de fraude fiscal e branqueamento de capitais, e last but not least, segundo o jornal SOL, o mesmo o DCIAP está a investigar um pagamento de 8,5 milhões de euros do construtor civil José Guilherme à Savoices, uma offshore pessoal de Ricardo Salgado, o presidente do BES, a título de honorários de consultoria e assessoria aos negócios desse empresário em Angola.

O presidente do BES disse através de um porta-voz que «está tudo regular e esclarecido». Qualquer pessoa que acredite no Pai Natal concordará que 3 ou 4 dicas do presidente do BES por 8,5 milhões de euros são uma pechincha.

21/09/2013

DIÁRIO DE BORDO: Solar Bragançano

Salada de tomate e alface da horta, posta mirandesa, vinho de quinta, abóbora dourada, sobremesa da casa. O melhor de dois mundos preparado com saber e servido com discrição e bom gosto. 27 anos de serviço público na Praça da Sé em Bragança.

20/09/2013

Mitos (139) – O aumento do IVA da restauração afundou o sector

Se o aumento de 77% da taxa do IVA de 13% para 23% afundou a restauração, como explicar que a previsão do aumento entre 2011 e 2013 da receita do IVA proveniente do sector seja 140%?

19/09/2013

¿Por qué no te callas? (15) – O serviço do Tozé à dívida pública

Segundo o Expresso, «o secretário-geral do PS, António José Seguro, afirmou (na terça-feira) que vai defender na reunião com a troika, na quarta-feira, que a meta do défice em 2014 fique pelo menos nos 5% e que haja uma solução europeia para a mutualização das dívidas dos Estados-membros».

Tradução: somem-se 5% do PIB à dívida que já passa dos 120% e ponham-se os países solventes a garantir a dívida dos insolventes.

Resposta dos investidores ao apelo do Tozé: ontem, quarta-feira de manhã, foram realizados dois leilões de BT com maturidades de 3 (500 milhões) e 18 meses (750 milhões de euros). A maturidade a 18 meses teve o yield médio de 2,293%, o mais elevado desde Novembro de 2012. No último leilão em Junho, o yield foi 1,603%. Na maturidade de 3 meses, o yield médio foi de 1,081%, contra 0,766% no leilão equivalente em Agosto.

18/09/2013

TIROU-ME AS PALAVRAS DA BOCA: Já agora…

«A intelligentsia portuguesa anda a pedinchar um défice de 4,5% do PIB em vez de 4% do PIB. Estão em causa 800 milhões de euros de gastos a mais. Neste momento os juros da dívida portuguesa estão a 7,3% no mercado secundário. Isto dá uma ideia do custo de oportunidade destes 800 milhões de euros. Investidos na compra de dívida pública rendem 7,3%. Alguém consegue imaginar uma aplicação melhor para este dinheiro?» interroga-se João Miranda no Blasfémias.

E porque não usar não apenas 800 milhões mas metade dos quase 20 mil milhões que estão parqueados na tesouraria para amortizar dívida de curto prazo e comprar dívida pública e ter um retorno de muitas centenas de milhões?

DIÁRIO DE BORDO: Acabei de degradar o rating reputacional do «salta-pocinhas» de B- para D… (2)

Outras degradações: (1).

«Garanto-vos que farei tudo o que estiver ao meu alcance para que esta seja a última vez que entidades respeitáveis, mas que são formadas por pessoas que não nasceram no nosso país e que não foram eleitas no nosso país, pelo facto de emprestarem dinheiro ao Estado português terem poderes significativos sobre as decisões sobre Portugal, disse Portas durante a apresentação dos candidatos do CDS às autarquias de Viseu.» (Expresso)

Ó Dr. Portas não faça mais nada, além do que tem feito, como contar estórias da carochinha sobre o guia/argumentário da reforma do Estado e demitir-se irrevogavelmente. Já fez bastante para as «entidades respeitáveis» terem as mais sérias e fundadas dúvidas se devem emprestar dinheiro a um Estado que tem tal vice primeiro-ministro.

17/09/2013

BREIQUINGUE NIUZ: Prolongamento das férias – uma justa luta para a esquerda festiva

Segundo um estudo da «doutorada em psicologia clínica e professora do mestrado de Educação Primária e Infantil da Universidade Internacional de La Rioja (UNIR) Blanca Tejero … o cérebro precisa de um a cinco dias para se readaptar aos horários depois das férias, porque pausas prolongadas acentuam os distúrbios do sono e do humor, afetando sobretudo as crianças até aos cinco anos e os idosos

Mitos (138) - Racistas inesperados (14)

«This guy, he was catapulted in on hope and change, what we hope the guy is. What the fuck? Everything he's saying's on the teleprompter. I'm blacker than Barack Obama. I shined shoes. I grew up in a five-room apartment. My father had a little laundromat in a black community not far from where we lived. I saw it all growing up.»

Rod Blagojevich, governador democrata do Illinois 2003-2009, a cumprir uma pena de 14 anos por ter tentado vender o lugar de senador de Barack Obama, em entrevista à revista Esquire.

@RTISTA CONVIDADO: O realismo mágico de Peter Doig (7)

White Creep, 1995-6, Óleo sobre tela, 290 x 199cm

16/09/2013

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Assim se vê a força do PCP

Segundo a sondagem da Eurosondagem (um departamento em outsourcing do PS), 42,6% dos inquiridos são contra a convergência das pensões entre o sector público e o privado e apenas 39,5% são a favor. Dito de outra maneira, mais de 4 em cada 10 portugueses aprovam que cerca de 600 mil pensionistas recebam uma pensão que, para o mesmo salário final, é em média o dobro da pensão dos outros 3,6 milhões.

Como o TC considerou inconstitucional o regime de mobilidade dos funcionários públicos, o governo vai transformar a mobilidade em inamovibilidade e oferecer aos excedentários uma tença vitalícia de 40% do salário.

Assim se vê a força do PCP (Partido Constitucional Português), com uns 4 milhões de eleitores potenciais, é sem dúvida o maior partido português. Proponho que os 200 mil milhões da dívida pública sejam repartidos por esse eleitorado à razão de 50 mil euros por cabeça.

Pro memoria (132) – O choque com a realidade do carro eléctrico de Sócrates

Segundo os planos socráticos, em 2020 deveria haver 180 mil carros eléctricos e 25 mil locais de carregamento. Deve acrescentar-se que devido ao previsível fracasso desses planos megalómanos, a Nissan cancelou o investimento de 150 milhões de euros numa fábrica de baterias, anunciado por Sócrates, e ainda recordar-se que cada posto standard custou 3 mil euros e os de carregamento rápido 30 mil. Ponto de situação segundo o Expresso:


[Para mais informação, ver a etiqueta carro eléctrico]

15/09/2013

ARTIGO DEFUNTO: Se eles ao menos lessem os jornais onde escrevem

Na página 5 do caderno de Economia do Expresso pode ler-se, pela pena do responsável do caderno, mais uma indignação a propósito da fábrica de turbinas eólicas que a empresa chinesa Three Gorges se teria comprometido a construir em Portugal como contrapartida da compra da participação na EDP. Segundo Nicolau Santos, a Three Gorges teria desistido com o «argumento» de excesso de produção de turbinas eólicas na Europa, não cumprindo o «argumento» para justificar a compra da EDP, e por isso, das duas uma «o governo foi enganado ou enganou os portugueses» pelo que se deveria exigir uma explicação ao líder da Three Gorges ou ao primeiro-ministro, respectivamente.

Quanto ao primeiro «argumento» é um excelente argumento e só demonstra que os comunistas que controlam o capitalismo de estado chinês são mais clarividentes do que os jornalistas de causas.

Quando ao segundo «argumento», pode ler-se 9 páginas mais à frente, no mesmo caderno dirigido pela mesma criatura que revelou ao mundo o alegado professor doutor Artur Baptista da Silva, alegado membro do PNUD e alegado chefe de uma missão da ONU para montar em Portugal um Observatório dos países da Europa do sul em processos de ajustamento:
«A construção de uma fábrica de turbinas eólicas em Portugal por parte da China Three Gorges não fez parte das cláusulas vinculativas que constaram do processo de privatização da EDP».

@RTISTA CONVIDADO: O realismo mágico de Peter Doig (6)

White Creep, 1995-6, Óleo sobre tela, 290 x 199cm

14/09/2013

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: «Presidente do Eurogrupo não quer discutir défice português»

«Não penso que seja um bom sinal manter a discussão aberta sobre se a meta (do défice) deve ser mais alta ou mais baixa, o mundo exterior deve perceber que Portugal e o governo português está empenhado em relação ao que tem que ser feito e ao que foi acordado e isso ajudará a sair do programa o mais depressa possível», disse Jeroen Dijsselbloem.

Alguém acredita que sem estes tutores a tomarem conta de nós, algum governo conseguiria equilibrar as finanças públicas deste país? O pior de tudo é, mesmo com estes tutores a tomarem conta de nós, não é garantido que algum governo consiga equilibrar as finanças públicas deste país.

Por falar em finanças públicas, alguém poderá ter a gentileza de me informar onde pára o guião também conhecido pelo nome de argumentário da reforma do Estado que o Dr. Paulo Portas está há 7 meses a preparar? Oferecem-se alvíssaras a quem souber o paradeiro dessa criação mitológica e nos informar por email.

Mitos (137) - Racistas inesperados (13)

«The blacks, those magnificent examples of the African race who have maintained their racial purity thanks to their lack of an affinity with bathing, have seen their territory invaded by a new kind of slave: the Portuguese.»

Che Guevara

ACREDITE SE QUISER: A Grécia e a Irlanda têm constituições e tribunais constitucionais

Fonte: Jornal SOL de 13 de Agosto

13/09/2013

Dúvidas (26) – Terão deitado fora o menino com a água de o lavar?

No meio do nevoeiro factual e conceptual dos mídia a respeito dos contratos swap, o ex-presidente do Metro de Lisboa Joaquim José Reis coloca uma dúvida pertinente. Apesar de ser uma das partes interessadas, visto ter contratado swaps durante o seu mandato, tem sentido a questão que coloca de se dever questionar a negociação a granel destes contratos de longo prazo quando se está «no pico mais baixo da evolução das curvas da taxa de juro» e se torna provável o seu aumento a curto prazo e quase certo a longo prazo. Eventualmente, em alguns desses contratos, o seu resgaste com um desconto agora poderá ter sido uma opção pior do que esperar que até à sua maturidade uma evolução favorável das taxas de juro que anulasse as perdas agora registadas.

É bem possível que o ministério das Finanças que ficou 18 meses a meditar sobre o assunto se tenta deixado obnubilar pelas pressões e a manipulação mediática do jornalismo de causa em coligação com o PS a tentar tirar o corpo de fora, e tenha confundido a urgência de sacudir essa pressão com a importância de encontrar a provável melhor solução.

Não vale a pena chorar sobre o leite derramado. No final trata-se de mais um exemplo das consequências para o país de entregar decisões empresariais na mão de políticos e de gestores por eles escolhidos que não têm nem a preparação, nem a motivação, nem os incentivos para procurarem soluções óptimas.

Estado empreendedor (73) – Não façam que nós também não faremos

O governo prepara-se para «assumir a função dos privados na gestão florestal», segundo o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural. Trata-se de mais uma concretização do axioma inspirador do Estado português: se não fazemos ou fazemos mal o que indiscutivelmente deveríamos fazer, também não façamos ou façamos mal o que discutivelmente deveríamos fazer.


Preparai-vos, pois, para pagar no futuro mais um departamento, direcção ou instituto, sujeito às leis de Parkinson, e as consequências de piores incêndios nas florestas – é uma aplicação destas funções zingarilho de tipo recorrente formuladas pelo Impertinente.

12/09/2013

TIROU-ME AS PALAVRAS DA BOCA: O que significa o slogan «primeiro as pessoas»

Primeiro as pessoas

«Este é um dos motes mais embusteiros em campanhas eleitorais. Um slogan que cavalga a ideia de superioridade do Estado em relação ao mercado. Insinuando que o capitalismo tende a colocar "os mercados antes das pessoas", obrigando, por isso, à intervenção política para devolver às pessoas o seu devido lugar.

Há outras versões, como "As pessoas estão primeiro". Ou a mais recente - "Um estado social ao serviço das pessoas" - com que Seguro justifica um Pacto em defesa das funções sociais do Estado que se louva na identificação do "social" e do "público" com o "estatal": escondendo as clientelas que se servem do Estado como coutada para, na educação, saúde e segurança social, impedirem a liberdade de escolha.

SERVIÇO PÚBLICO: Gestão de tesouraria socialista vs «neoliberal» (2)

Nos últimos tempos, políticos e opinion dealers, pela mão amiga do jornalismo de causas, têm vindo a insistir no aumento avassalador da dívida pública que, segundo eles, se deveria à derrapagem do orçamento. Ora a verdade é que o aumento da dívida tem estado a ser superior à simples adição dos défices, pelo que para a derrapagem orçamental poder explicá-la seria necessário adicionar-lhe um outro ingrediente: manipulação do défice, como nos tempos de José Sócrates e Teixeira dos Santos. Ingrediente que não foi adicionado, não por falta de vontade, mas porque seria quase impossível de acreditar com os controladores do Eurostat e da troika a esgravatarem a execução orçamental todos os meses.

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Jimmy Carter II

Secção Entradas de leão e saídas de sendeiro

Pelos abusos de intrusão na vida privada de milhões de cidadãos e de utilização indiscriminada de drones em alvos duvidosos, poderíamos comparar Barack Obama a George W. Bush, para pior. Pelas suas tergiversações e manobras sobre a retaliação à Síria pela utilização de armas químicas, por se andar a esconder atrás do Congresso e confundir política internacional com manipulação mediática, Barack Obama pode com justiça ser comparado a Jimmy Carter.

No final deixará os EU tão desacreditados e confusos, como os deixou o homem dos amendoins, a serem vistos como uma espécie de «tigre de papel» para citar o falecido Mao Ze Dong, com a sua autoridade de responsável por dezenas de milhões de mortes. Nesta altura diria, citando O Insurgente, «resta-lhe a pele pois, no mundo politicamente correcto que Obama domina melhor que ninguém, a cor acaba por ser o critério que conta

Pela frouxidão o premeio com 5 urracas e com 4 chateaubriands pela confusão entre liderança e conversa fiada.

ACTUALIZAÇÃO:
Acrescento mais 3 pilatos pelo resultado das suas manobras ter ajudado o czar Putin, o maior violador dos direitos humanos do Atlântico aos Urais, a subir ao púlpito para fazer uma homilia sobre os direitos humanos, sob a forma de uma carta aberta publicada no New York Times.

11/09/2013

ESTADO DE SÍTIO: O Portugal inconstitucional (2)

Está resolvido. Ana Avoila, uma dirigente comunista e sindicalista na clandestinidade, coordenadora da Frente Comum dos Sindicatos da Administração pública, decretou ontem, à saída de uma reunião no ministério das Finanças, a inconstitucionalidade da convergência de pensões da CGA para o regime geral. Devo acrescentá-la a esta lista de inconstitucionalidades que careceria de ser actualizada todos os dias.

Curiosamente, não tem sido considerada inconstitucional a iniquidade que consiste em os reformados da CGA terem reformas que podem ter chegado a 90% do último salário comparativamente com uma percentagem de 2% por ano de descontos limitada a 80% da média dos 10 melhores dos últimos 15 anos no regime geral. Feitas as contas, para o mesmo último salário, as pensões do regime geral são necessariamente muito inferiores às da CGA.

Acresce que as contribuições dos funcionários públicos para CGA apenas chegam para financiar 40% das pensões, de onde resulta que ainda temos lhes cabe pagar com os impostos 60% das suas pensões.

Nota: para uma pesquisa rápida das «inconstitucionalidades» no (Im)pertinências, criámos uma etiqueta «inconstitucional».

De boas intenções está o inferno cheio (16) - Uma piada de mau gosto

Segundo os jornais (lido aqui), o papa Francisco terá dito a Durão Barroso durante uma audiência particular, em tom galhofeiro, «na minha terra diz-se que o português é um espanhol mal falado» ou, as opiniões dividem-se, «en mi país se dice que el portugués es un mal hablado español». É um exemplo de algo que a cultura, a sensibilidade de Bento XVI jamais lhe permitiriam dizer - mas para tanto bastaria um módico de bom senso.

Não ignoro que os crentes e os leigos deste século XXI valorizam um papa mediático com estas tiradas popularuchas, o que não me impede de as achar de muito mau gosto, sobretudo esta, dita por um papa argentino a um português. Se fosse comigo, ter-lhe-ia respondido que esse ditado só poderia ser dito por italianos que falam espanhol e têm a mania que são ingleses, como costumam dizer a respeito dos argentinos os seus vizinhos que partilham com eles as cataratas do Iguaçú e partilham connosco o mal falado espanhol.

Se o mau gosto fosse pecado, teríamos o papa a caminho do inferno a toda a velocidade.

10/09/2013

BREIQUINGUE NIUZ: As notícias do fim da recessão em França são grandemente exageradas

Lido hoje na Daily Newsletter do BPI: «Na Europa, foi divulgada a produção industrial em França que revelou uma queda, quando era esperada uma subida, e o PIB foi revisto em baixa, revelando uma queda mais acentuada que o previamente anunciado.»

CASE STUDY: A pátria do capitalismo é o inferno dos capitalistas (13)

Anjos caídos recentemente: (1), (2), (3), (4), (5), (6), (7), (8), (9), (10), (11) e (12).

Como aqui se relatou, o Financial Reporting Council (FRC), considerou o ano passado que a Deloitte não respeitou os conflitos de interesse da sua dupla participação como auditor e consultor na venda da MG Rover à Phoenix Four. A Deloitte contestou a decisão do FRC, mas arbitragem internacional que teve lugar em Agosto não lhe deu razão e esta semana o FRC aplicou-lhe uma multa de 14 milhões de libras (16,6 milhões de euros).

SERVIÇO PÚBLICO: O princípio do princípio (21)

Continuação de (1), (2), (3), (4), (5), (6), (7), (8), (9), (10), (11), (12), (13), (14), (15), (16), (17), (18), (19) e (20)

O resultado da consolidação do Portugal Que Se Queixa (PQSQ) com o Portugal Que Trabalha (PQT) continua a ter o andamento de uma carroça puxada por uma parelha constituída por um burro, magro mas com genica, e por uma mula gorda, mole, arrastada pelo burro e sempre com as fauces mergulhadas na alcofa da fava.

Pro memoria (131) – A herança de Sócrates e o acórdão do TC

O fundamento da inconstitucionalidade da norma dos despedimentos na função pública (à boleia também da evidente formalização deficiente do diploma), fica-se a saber na página 25 do acórdão do TC, foi a garantia dada pela reforma do estatuto da função pública promovida pelo governo e o PS em 2008 de emprego vitalício para os trabalhadores do Estado contratados até então (cerca de 400 mil ainda em serviço), uma vez que segundo o parecer da comissão da reforma de 2008, a sua aplicação seria «apenas aos novos trabalhadores reduz(indo) drasticamente o alcance da reforma», como o TC não deixou de sublinhar.

Ora, segundo o TC, essa reforma deu-se já «num contexto que não era alheio a considerações de dificuldades orçamentais graves e obrigações no contexto da União Europeia» pelo que, não havendo nada de novo, sempre segundo o TC, este governo não poderia retirar agora uma garantia dada pelo anterior (ver a coisa muito bem explicadinha por Bruno Faria Lopes no Económico).

Em conclusão, podeis acrescentar à factura a enviar pela sua governação ao engenheiro José Sócrates, em morada incerta no XVIe arrondissement, mais parte substancial da conta do aumento de impostos e/ou de um segundo resgate para compensar estas inconstitucionalidades.

09/09/2013

DIÁRIO DE BORDO: a passarada que me visita (21)

Vou fazendo de birdwatcher, afirmando a soberania aqui no meu quintal, poupando uma viagem às Selvagens para espreitar as cagarras.

Toutinegra-de-cabeça-preta (Sylvia melanocephala), cantando piropos a uma fêmea nas vizinhanças

Alvéola-branca (Motacilla alba), tratando do seu pequeno-almoço de lagartas

CAMINHO PARA A SERVIDÃO: As cagarras, o TC e o cheque que tarda

Afinal Cavaco Silva não foi às Selvagens só de birdwatcher das cagarras, foi também afirmar a soberania portuguesa sobre as ilhas ou «rochedos», na versão espanhola.

Foi uma viagem patriótica, tanto mais que com o «cheque da troika suspenso por causa do Constitucional» e um risco acrescido de um segundo resgaste, Portugal pode perder ainda mais soberania sobre a parte mais ocidental da jangada de pedra do Saramago e, a ser assim, Belém poderia transferir-se para as Selvagens ou, vá lá, para ficar mais acessível, para as Berlengas.

Mitos (136) - Racistas inesperados (12)

«A few years ago, this guy would have been getting us coffee...»

Bill Clinton para Edward Kennedy, a respeito de Barack Obama, durante a campanha de 2008

08/09/2013

ACREDITE SE QUISER: Votar contra

António José Seguro e milhões de portugueses não conhecem a proposta do Orçamento do Estado. Porém, a diferença, explica Seguro, é que «naturalmente os portugueses estarão, com certeza, à espera do que será o nosso voto» e Seguro não está à espera de nada e já garantiu que vai votar contra. Contra o quê? Ele lá sabe.

CAMINHO PARA A INSOLVÊNCIA: O salário mínimo europeu, uma solução francesa para evitar as «distorções da concorrência»

Jean-Marc Ayrault, o primeiro-ministro socialista francês, defende um salário mínimo europeu para evitar as «distorções da concorrência». Dito de outra maneira, Ayrault como qualquer socialista, sobretudo do género francês, prefere as distorções administrativas da fixação de um salário mínimo por um órgão europeu em Bruxelas.

Mitos (135) - As pessoas inteligentes falam sobre ideias…

Recentemente, li por diversas vezes citado em várias línguas um pensamento cuja autoria é atribuída a diferentes pessoas que vão desde Platão (discípulo e admirador de Sócrates), a Eleanor Roosevelt (uma Roosevelt por parte do marido Franklin Roosevelt, presidente por 4 mandatos, e do tio Theodore Roosevelt, presidente por 2 mandatos, e ela própria uma espécie de presidente-delegado), passando por Jules Romains (poeta francês, membro da Academia Francesa e fundador da corrente literária Unanimismo). Diz assim:
«Pessoas inteligentes falam sobre ideias, pessoas normais falam sobre coisas, pessoas mesquinhas falam sobre pessoas

07/09/2013

Nem todos os obamas de Obama fazem felizes os obamófilos: episódio (71) – Yes, they can. The Times They Are A-Changin’

«The National Security Agency is winning its long-running secret war on encryption, using supercomputers, technical trickery, court orders and behind-the-scenes persuasion to undermine the major tools protecting the privacy of everyday communications in the Internet age, according to newly disclosed documents.

The agency has circumvented or cracked much of the encryption, or digital scrambling, that guards global commerce and banking systems, protects sensitive data like trade secrets and medical records, and automatically secures the e-mails, Web searches, Internet chats and phone calls of Americans and others around the world, the documents show.»

(New York Times)

Pro memoria (130) – A doutrina Seguro

«Para mim, a questão não foi jurídico-constitucional, foi sempre política e nós contribuímos com a nossa decisão para a renovação de mandatos, que corresponde àquela que é a nossa opinião e a opinião dos portugueses», disse António José Seguro.

Daqui resulta a doutrina Seguro que dispõe que o TC se pronuncia sobre dois tipos de questões, a saber:
  • Questões jurídico-constitucionais – aquelas em que o TC se pronuncia no mesmo sentido de António José Seguro e em sentido contrário ao do PSD, por exemplo na requalificação dos funcionários públicos;
  • Questões políticas – aquelas questões em que o TC se pronuncia no mesmo sentido do PSD e que circunstancialmente não preocupam António José Seguro, por exemplo a limitação a 3 dos mandatos dos autarcas.

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Portugal ainda é um país independente?

O que dizer de um país em que um jornal classifica como os mais poderosos para a sua economia:
  • 1.º A primeira-ministra de um outro país (Angela Merkel);
  • 2.º O presidente de um banco central da zona económica a que pertence (Mario Draghi);
  • 6.º Uma empresária filha de um presidente estrangeiro (Isabel dos Santos)
  • 9.º Um presidente de um país africano (José Eduardo dos Santos)?
E inclui na lista dos 50 mais poderosos para a economia o comunista que lidera uma central sindical (Arménio Carlos), um general estrangeiro que se dedica aos negócios (Kopelipa) e o presidente de um clube de futebol (Luís Filipe Vieira).

06/09/2013

De boas intenções está o inferno cheio (15) – Quando César antecipa os desígnios de Deus (ACTUALIZADO)

«O papa Francisco escreveu uma carta ao Presidente russo a pedir que ajude a encontrar uma solução pacífica para Damasco, sendo a ação militar uma hipótese "vã" e "fútil"». (Expresso)

O apelo do Santo Padre é um bocadinho tardio ou mesmo inútil. Afinal Putin antecipou-se e tem vindo de há muito a ajudar «a encontrar uma solução pacífica para Damasco» vetando no Conselho de Segurança da ONU qualquer «ingerência» na Síria e fornecendo mísseis Scud e diverso outro armamento com o mesmo propósito.

Actualização
Agora é oficial: o apelo do Santo Padre não caiu em saco roto. O czar Putin em conferência de imprensa à margem da cimeira G-20 informou ter conversado com Barack Obama a respeito da Síria, concordando em discordar, e pela parte dele se os EU atacassem a Rússia continuaria a «ajudar» a Síria vendendo-lhe armas.
Entretanto, o Partido Comunista russo vai lançar uma campanha para retirar o prémio Nobel da Paz a Barack Obama que, recorde-se, lhe foi atribuído 9 meses depois de ter sido eleito sem ter tido a oportunidade de iniciar uma guerra. Quem sabe se o PC russo quer retirar o Nobel da Paz para o atribuir ao Pai de Todas as Rússias, a título póstumo.

ACREDITE SE QUISER: Estará a democracia em perigo?

Li este «Navio Fantasma» do «camarada» Pacheco Pereira e fiquei preocupadíssimo com a «deriva cada vez menos democrática» do primeiro-ministro. Principalmente porque não me lembro do autor manifestar tão viva preocupação com as derivas do ex-primeiro ministro José Sócrates que o levaram, entre muitas outras coisas, a tentar controlar a TVI. Escrevo «tão» porque de facto o autor manifestou na época algumas preocupações.

Só me tranquilizei ao saber que a Comissão Nacional de Eleições não autoriza a RTP a entrevistar o primeiro-ministro no programa "O País Pergunta", porque «um programa de entrevistas com responsáveis políticos, com o formato anunciado pela RTP, apenas pode ter lugar fora dos períodos eleitorais». Talvez a «deriva cada vez menos democrática» de Passos Coelho ainda não esteja a colocar a democracia em perigo.

Contudo, só ficarei completamente tranquilo quando a CNE instruir a RTP para suspender durante os períodos eleitorais o tempo de antena no prime time do ex-primeiro-ministro, por ele aproveitado exclusivamente para combater a «deriva» do actual primeiro-ministro. E, já agora, quando a mesma CNE instruir a sugerir à SIC para suspender durante os períodos eleitorais a participação no programa «Quadratura do Círculo» do líder in waiting do PS, travestido de comentador.

Estado empreendedor (72) – Tratolixo, literalmente uma empresa de lixo

Depois de anos a afundar-se e com o seu destino de há muito marcado, a Tratolixo empresa que (se) serve (d)os munícipes de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra à razão de 70 euros por tonelada de lixo (quase quatro vezes o custo da Valorsul) entrou em processo de insolvência em Janeiro, depois de desde 2005 ter torrado a pagar salários 80 milhões de um financiamento para a construção do novo centro de tratamento na Abrunheira.

Esses 80 milhões faziam parte de um sofisticado financiamento de 125 milhões em Agosto de 2005 em Project finance com o risco de variação dos juros protegido por um contrato de swap até 2024 que na última contagem já tinha 15 a 20 milhões de perdas.

Se este país fosse um país para levar a sério, lá teríamos mais umas dúzias de gestores, de altos funcionários públicos, de secretários de Estado e de ministro a serem processados por gestão danosa da res publica.

Lost in translation (185) – «Serventes do governo», significa de qualquer governo, sobretudo dos governos PS

João Ribeiro, porta-voz do PS, entende «que o programa "'O País Pergunta' não garante a igualdade de tratamento entre os líderes político-partidários», e, por isso, «considera que "parte da direcção de informação da RTP está instrumentalizada e governamentalizada" e que alguns dos seus elementos "comportam-se recorrentemente como serventes do governo"». (ionline)

O PS só percebe que a RTP é uma espécie de putain de la République, paga a peso de ouro pelos sujeitos passivos, quando ela se deita com o inimigo.

05/09/2013

ESTADO DE SÍTIO: A banca, os swaps, a reputação e o regime

No final de Agosto, o Santander Totta processou o ministério das Finanças e o IGCP por danos reputacionais ao divulgar a informação que o banco teria tido um ganho de 100 milhões logo no início do contrato de swap com a Metro do Porto, em vez do ganho real que foi 9,5 milhões de euros.

Resumindo: temos um ministério das Finanças a enganar-se numa proporção de 1 para 10, temos um banco estrangeiro que acha que a sua reputação tem valor e, mostrando não ser um banco do regime, processa o Estado.

No mesmo país, mas como se estivesse noutra galáxia, sabe-se agora que entre 2006 e 2012, dois bancos do regime, o BESI do grupo BES (banco de «todos os regimes», Salgado dixit) e o BPN (bando ligado a figurões do PSD, nacionalizado por figurões do PS), receberam da Carris 52 milhões de euros de contratos swaps, mais do que as perdas em outros contratos considerados de alto risco.

É fácil prever que nenhum destes dois últimos bancos irá processar o Estado por danos à reputação, por duas poderosas razões: por viverem encostados ao Estado e porque a sua reputação é pouco susceptível de danos.

@RTISTA CONVIDADO: O realismo mágico de Peter Doig (5)

White Canoe, 1990-1, Óleo sobre tela, 200,5 x 243cm

Mitos (134) - Racistas inesperados (11)

«I think one man is just as good as another so long as he's not a nigger or a Chinaman. Uncle Will says that the Lord made a White man from dust, a nigger from mud, then He threw up what was left and it came down a Chinaman. He does hate Chinese and Japs. So do I. It is race prejudice, I guess. But I am strongly of the opinion Negroes ought to be in Africa, Yellow men in Asia and White men in Europe and America

Harry Truman, numa carta para sua mulher de 1911

04/09/2013

CASE STUDY: O homem providencial para o Estado Previdência (5)

Outras providências do homem providencial: (1), (2), (3) e (4).

Demonstrando, uma vez mais, se porventura fosse necessário demonstrar o amplamente demonstrado, que está à altura de um primeiro-ministro socialista, António Costa, depois de ter dado múltiplos exemplos de obra feita, no melhor estilo dos seus predecessores, aponta agora novos caminhos ao financiamento da obra a fazer. Já não se trata (só) de criar dívida (e depois fazer acordo com o governo de expedientes para a financiar), trata-se de encontrar fontes de alternativas de financiamento.

É disso mesmo que se trata, com o anúncio de «um grande programa que temos de lançar, mas para o qual o Governo não pode deixar cair a negociação com a União Europeia, é fazer um investimento no edificado para melhoria da eficiência energética e reforço a calamidades naturais». E tudo isto «em contraciclo» com o Governo, dando um «fortíssimo impulso» para a economia nacional, dado o «grande peso» da indústria da construção em Portugal.

Se este anúncio não fosse suficiente, eis que Costa ainda anuncia uma praça em cada bairro, a requalificação dos cemitérios, a mobilidade pedonal e, cereja no cimo do bolo, a criação de «novos direitos urbanos», como o direito ao silêncio. Concordo com tudo, especialmente com o direito ao silêncio, aproveitando para pedir ao Dr. Costa e à sua equipa para limitar ao máximo a emissão de decibéis com a vocalização de vacuidades.

DIÁRIO DE BORDO: Take Another Plane Plan (4)

Outros voos: (1), (2) e (3)

A TAP, uma espécie de RTP dos ares, continua imparável na ascensão dos passivos e na delapidação dos capitais próprios, que de resto já não existem: eram negativos de 400 milhões e em meses já vão em 530 milhões negativos. Uma maneira de dizer que a TAP só tem capitais alheios e assim continuará enquanto não aparecer uma alma caridosa que fique com a bandeira e com os milhares de funcionários que acreditam que a TAP existe para lhes dar sustento, conforto e viagens à borla para toda a família.

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: PC, semper idem

Secção Res ipsa loquitur

Segundo Joaquim Vieira, a fotobiografia de Álvaro Cunhal, recentemente publicada, inclui uma foto da chegada a Lisboa em 30 de Abril de 1974 do camarada líder que «foi cortada para excluir Mário Soares». «Traços de um "comportamento estalinista", na opinião do ex-dirigente comunista Carlos Brito», evocando o processo favorito de Estaline mandar apagar de antigas fotos os líderes comunistas caídos em desgraça (alguns deles assassinados).

Para os camaradas comunistas 5 bourbons por nada aprenderem nem esquecerem.

Esclarecimento:
O «semper idem» não é uma piada ao lema do Abrupto. Na verdade, sendo este lema razoavelmente adequado ao PC e aos comunistas, não me parece nada ajustado ao «camarada» Pacheco Pereira (Soares dixit).

03/09/2013

A metalúrgica do regime afunda-se com ele (7)

Actualização de (1), (2), (3), (4), (5) e (6)

A Martifer, dos irmãos Martins, em tempos um dos exemplos de sucesso de José Sócrates e uma das meninas dos olhos do jornalismo promocional (uma variante do jornalismo de causas), mesmo depois de ter sido acolhida em 2007 pela Mota-Engil, a construtora mais emblemática do regime, de que foi presidente executivo Jorge Coelho, continua a afundar-se, aumentando os prejuízos e a dívida.

Exemplos do costume (16) – Também não vejo drama nenhum

«Não vejo drama numa aliança entre PS e CDS. É uma aliança onde do ponto de vista doutrinário e ideológico é mais nítida a sua diferença e, assim sendo, a dialética da coligação pode ser mais positiva», garante Bagão Félix.

Também acho naturalíssimo, por várias razões. Pois não é verdade que o CDS-PP deixou cair o PP e ficou com o CDS e o seu incontornável “S”. Pois não é verdade que existem precedentes? O Dr. Soares teve um governo com o Dr. Freitas do Amaral, o qual, quase 30 anos depois, participou num governo do Eng. Sócrates. Pois não é verdade que o CDS é um viveiro de socialistas eméritos? Não só os antigos, também muito os jovens centristas, como Assunção Cristas, ficariam bem num governo socialista. Enfim, pois não é verdade que até o Dr. Soares considera o Dr. Portas um «salta-pocinhas»?

E se dúvidas houvesse o próprio Portas as teria esclarecido quando escreveu acerca de Francisco Lucas Pires o que poderia ter escrito (quase tudo) com mais propriedade sobre si próprio: «Ex-fascista e neodemocrata, ex-direitista e neossituacionista, ex-conservador e neoprogressista, ex-liberal e neossocial, ex-nacionalista e neoeuropeísta, ex-coimbrão e neobruxelense, ex-federalista e neoantifederalista, ex-CDS, ex-AD, ex-independente e neo-PSD, ex-pirista e pós-cavaquista».

Exemplos do costume (15) - A fábrica de presidenciáveis já começou a trabalhar (II)

Continua a campanha de promoção a candidato a PR de Sampaio da Nóvoa, mais uma machina do deus Soares, uma espécie de sucessor de Fernando Nobre. Desta vez foi a entrevista à Pluma Caprichosa Clara Ferreira Alves – não por acaso, uma notória admiradora do proprietário do PS - na Actual do Expresso de sábado passado. Podem ler-se no Blasfémias alguns extractos do pensamento sublimado do putativo candidato.

Vem a propósito recordar uma original teoria conspirativa de há quase 10 anos do (Im)pertinências (*) sobre a atracção do luminarium vulgaris portucalensis por morar em Belém:

02/09/2013

DIÁRIO DE BORDO: Alguém poderá ter a gentileza de me explicar?

Qual o fundamento ético ou político de quem trata o governo como um bando de salafrários exigir tanto respeitinho no tratamento de um colectivo de juízes nomeados pelos partidos e cooptados entre si que tratam a Constituição como um contrato colectivo dos funcionários públicos e um garante da perenidade dos seus próprios direitos adquiridos?

DIÁRIO DE BORDO: já dei que chegue para o peditório dos incêndios (mas não tenho juízo)

Sequela deste donativo.

Acabo de receber um telefonema proveniente do planeta Melmac do meu amigo Gordon Shumway, aka Alf – ver aqui as circunstâncias em que tive o privilégio de conhecer este figurão há 11 anos. «Portugal ainda está a arder?» perguntou, ofegante e preocupado. Que tinha estado a ver na Holomac (a televisão por holograma de Melmac que tem um acordo com a RTP Internacional) entrevistas a uns tais Insurance, Unafraid e Geronimo (um chefe índio?, perguntou) e ficou com a ideia de que o país estaria em cinzas. Levei um tempo até me lembrar que ele só consegue fixar nomes em melmaquês e inglês e a perceber que se referia aos líderes da oposição local. Disse-lhe não ter dado por isso, contudo, em todo o caso, também preocupado, iria investigar.

Vou daqui a pouco ligar ao Alf e dar-lhe conta do que concluí.

A área ardida este ano é a 2.ª mais baixa dos últimos 11 anos e é menos de ¼ da média; de onde não se percebe o fundamento do alarido, a não ser que os incêndios se devam a pirómanos a soldo do governo para se vingar do TC e aproveitando a maioria dos juízes estar de férias nesta altura em que o TC não tem nada para fazer.

Fonte: Jornal SOL de 30-08

A área ardida de matos tem vindo a representar uma fracção crescente e em média no período 2002-11 foi 46%; de onde nos devemos interrogar se terá sentido continuar a usar os mesmos meios e colocar em risco a vida dos bombeiros para evitar queimadas inevitáveis.
Relatório provisório de incêndios florestais 2012, DUDEF

Um dia como os outros na vida do estado sucial (12) – Reitor (rector) não é o que rege, o regente. É o pedinte

Para evitar que uma provável sobre-orçamentação das receitas das universidades para cobrir despesas sempre sub-orçamentadas (um expediente que os reitores têm usado para apresentar orçamentos «equilibrados» que vão dar contas deficitárias, seguidas de peditório ao ministério da Educação), o ministério das Finanças deu instruções aos reitores para considerarem nos orçamentos de 2014 como receitas próprias apenas os valores confirmados das contas de 2012. Qualquer pessoa de boa-fé perceberia que esse expediente não limitaria as universidades a fazerem os contratos de prestação de serviços que conseguissem, por muito que excedessem as receitas próprias previstas nos orçamentos, porque o problema não está nestas receitas, está nas despesas e nas dotações do OE.

É um expediente um bocado tortuoso? É sim senhor, mas estamos num país tortuoso e, dado o propósito de evitar a cosmética orçamental, o expediente é aceitável. Perante este expediente, o que faz o lóbi dos reitores? Indigna-se, manifesta-se e insulta a inteligência dos contribuintes, com a ajuda do coro habitual que faz de nós mais estúpidos do que somos: «não faz sentido proibir as universidades de gerarem receitas próprias ao mesmo tempo que se lhes corta as transferências do Estado», disse Catarina Martins em nome do casal coordenador bloquista.

A propósito, não terá o governo capacidade para antecipar estes golpes de agitprop ou, não os antecipando, ao menos tomar a iniciativa de os neutralizar com a comunicação transparente dos factos?

01/09/2013

@RTISTA CONVIDADO: O realismo mágico de Peter Doig (4)

Peter Doig, Grasshopper, 1990, Óleo sobre tela, 200 x 250cm

Mitos (133) - Racistas inesperados (10)

«All the other large and small nationalities and peoples are destined to perish before long in the revolutionary world storm… these residual fragments of peoples always become fanatical standard-bearers of counter-revolution and remain so until their complete extirpation or loss of their national character… [A general war will] wipe out all these petty hidebound nations, down to their very names. The next world war will result in the disappearance from the face of the earth not only of reactionary classes and dynasties, but also of entire reactionary peoples. And that, too, is a step forward

Karl Marx